VILÕES DO RELACIONAMENTO

por Meiry Kamia

Definitivamente, de forma geral, relacionamentos humanos (familiar, amizades, profissionais, etc) não são nada fáceis, mais complicados ainda são os relacionamentos amorosos, porque envolvem questões mais delicadas como intimidade, ciúmes, etc.

Existem alguns “vilões” muito comuns que minam os relacionamentos amorosos, vamos conhecê-los e refletir sobre eles?

VILÃO No. 1: A EXPECTATIVA:  nossa cultura nos ensina o amor romântico, por conta disso, tendemos a criar um relacionamentos ideais em nossas mentes, aqueles do tipo contos de fada. Entretanto, contos de fadas só existem na fantasia e não no mundo real. Ao criar as fantasias, geramos expectativas de como as coisas “deveriam ser”, que coisas o ser amado “deveria fazer”, ou o que o ser amado “teria que ter dito” em determinado momento, etc. O grande problema das expectativas é que, quando não correspondidas, geram grandes frustrações.

Imagine a seguinte situação: você e seu parceiro raramente saem durante a semana porque você trabalha. De repente, você recebe uma folga. Você decide fazer uma surpresa para seu amado, e pensa num programa light: ir ao cinema. Pesquisa os filmes que estão em cartaz, planeja um jantarzinho, e fantasia como será bacana passar esse tempo extra juntos. Mais tarde, você comenta com seu namorado sobre o dia extra, mas ao contrário da reação de surpresa e felicidade que você esperava, ele responde que terá uma prova no dia seguinte e que prefere estudar. Pronto! Toda energia empregada na fantasia foi frustrada.

A primeira reação causada pela frustração é de raiva, e isso faz com que reajamos de forma agressiva, e aí vem as acusações: “você NUNCA pode!”, “a gente NUNCA sai”, “você NUNCA tem tempo para mim”, etc.

Como solucionar:  o melhor caminho para evitar as frustrações que desgastam os relacionamentos é a comunicação. Temos que aprender a comunicar ao outro o que pensamos, o que desejamos, falar a respeito dos nossos medos e carências, aprender a negociar, etc. Devemos deixar de lado esse hábito de acharmos que o outro precisa adivinhar o que se passa em nossa cabeça.

Maturidade é saber lidar com o mundo real e não viver na fantasia. No mundo real o outro não consegue ler nossos pensamentos. A comunicação aproxima, traz intimidade, reduz as expectativas, evita as frustrações e tornam os relacionamentos mais saudáveis.

VILÃO No. 2: A COMPETIÇÃO: alguns casais, sem perceber, acabam entrando em competição, e a inveja é a base desse movimento. A princípio, os casais tendem a se aproximarem por admiração. Por exemplo, uma moça mais tímida pode se apaixonar por um rapaz extrovertido, muito popular e comunicativo. É muito querido pelas pessoas, portanto, é sempre convidado para participar de festas, etc. No início do relacionamento isso pode parecer mágico aos olhos da namorada, mas com o tempo, justamente as características que mais admirava poderá se tornar seu verdadeiro inferno, e ela passa a se incomodar pelo fato dele ser simpático demais, popular demais, de ir às festas e deixa-la de lado, etc. É um verdadeiro paradoxo.

O mecanismo da inveja funciona da seguinte forma: primeiro, admiramos o que o outro tem e nós não temos. Depois, nos ressentimos porque o outro tem e nós não. O próximo passo é destruir o que o outro tem e nós não. Por essa razão, a moça do nosso exemplo, quererá podar justamente o que mais admirava no parceiro, para “acabar com a graça dele”. E passa a agredi-lo dizendo coisas do tipo “você se acha, né?”, “vai lá e fica se exibindo para todo mundo”, etc.

A competição também pode acontecer, por exemplo, no âmbito profissional do casal. Às vezes, o rapaz está passando por uma situação desfavorável profissionalmente e sua parceira, ao contrário, está em plena ascensão. Mas ele não consegue ficar feliz com o sucesso dela e começa a ataca-la fazendo cobranças e apontando falhas na área familiar: “você está deixando a casa largada!”, “você não tem mais tempo para os nossos filhos”, “a cozinha tá uma bagunça”, “não tenho camisas passadas”, etc. É como se ele dissesse “você não é tudo isso que está pensando não, olha aqui como você é falha!”.

Como solucionar: para não cair nessa armadilha procure enxergar o lado positivo do outro sem se sentir ameaçado. Agradeça por ter uma companhia tão bacana ao seu lado. Procure ganhar mais autoconfiança. Atente-se! Não jogue no outro as suas frustrações, foque a atenção em você e não no outro, procure verificar o que pode fazer para mudar a sua situação e deixar de se ressentir com o sucesso do outro.

VILÃO No. 3: O CONTROLE/ POSSE: algumas pessoas confundem relacionamento com posse. Falas como “você é meu”, “eu sou seu”, “somos um só”, etc, são característicos desse tipo de relacionamento. Essa mistura entre o “eu” e o “outro” não é nada saudável porque não é real. Maturidade é entender que as pessoas são seres individuais, portanto, com personalidades, gostos, histórias, diferentes.

Na relação controle/posse temos dois papéis o “dominador” e o “dominado”, ou o “algoz” e a “vítima”. Estabelece-se uma relação de poder e não de igualdade. A dinâmica é a manipulação e não o amor e o respeito aos desejos de ambos.

Não precisa dizer que não é nada saudável. O problema de ver o outro como objeto é que objetos não possuem sentimentos nem desejos, portanto, não há respeito pelas necessidades do parceiro. Os casos de homicídios que vemos por aí, ocorrem justamente porque essa situação chega a extremos.

Como solucionar: pessoas controladoras e possessivas são muito inseguras de si mesmas. Precisam certificar-se o tempo todo que as coisas que possuem não irão embora. Não conseguem enxergar que possuem algo positivo e, por essa razão, o outro só permaneceria com ele sob ameaça ou quando manipulados.

Deve desenvolver o amor próprio, valorizar a si mesmo, perceber que possui coisas positivas em si mesmo de forma que outras pessoas queiram se aproximar sem ser na base da ameaça. Você cobra do outro o que você mesmo não dá para você que é respeito e amor.

 VILÃO No. 4: A BARGANHA: é o relacionamento a base de cobranças. Contabiliza-se cada gesto. Falas típicas desse tipo de relacionamento são: “eu ligo se ela ligar”, “eu faço se ele fizer”, “eu não sou trouxa”, etc, considera-se trouxa aquele que dá mais e recebe menos.

Esse tipo de relacionamento é exatamente o oposto do significado do amor. O amor é abundante e deve ser dado sem esperar nada em troca. Alguns pais dizem “tive filhos porque sei que vou ficar velho, e quem irá cuidar de mim?”.

O amor-barganha é egoísta, apenas faz pelo outro porque espera algo em troca. Tudo o que é feito é contabilizado e será cobrado com juros. Nenhum relacionamento consegue crescer assim porque a partir do momento em que um deixar de fazer pelo outro o vínculo se desfaz. Ex: “ele sempre traz lembrancinhas quando viaja, não me trouxe mais, então deixarei de fazer o café para ele”. Ele: “ela não me faz mais café, portanto, não a levarei mais ao cinema”. Ela: “ele não me chama mais para sair, então não vou mais me arrumar para ele”. Ele: “ela está tão desarrumada e largada, não faz nada de bom para mim, nem a casa está arrumada, não quero nem falar com ela”. Ela: “ele me trata com tanto desdém, que eu nem tenho vontade de fazer mais nada com ele”.

Como solucionar: o casal deve desenvolver o amor altruísta. Deve exercitar fazer algo sem esperar nada em troca. Comece com pequenas gentilezas, se não consegue fazer pelo seu parceiro, comece com outras pessoas. Sorria, agradeça, fale palavras gentis, permita-se criar e oferecer coisas boas aos outros de graça, apenas porque quer ser gentil.

Esse exercício o fará sair da pobreza de espírito, e fará com que você encontre o seu lado generoso, e isso te fará próspero, feliz e abundante. Você descobrirá o quanto tem  a oferecer, e essa energia é inesgotável, quanto mais dá alegria aos outros, mais feliz você fica.

*MEIRY KAMIA é Palestrante, Psicóloga, Mestre em Administração de Empresas, Consultora Organizacional. Autora do livro “MOTIVAÇÃO SEM TRUQUES”. Também é ilusionista, premiada como melhor mágica feminina da América Latina, pela Federação Latino-Americana de Sociedades Mágicas. Desenvolve palestras motivacionais e treinamentos diferenciados, aliando Arte Mágica, Teatro e Psicologia. Contatos:  www.meirykamia.com; atendimento@meirykamia.com 011-2366-9002

 VEJA TAMBÉM:

CANAL INTERATIVO – COMO PASSAR EM CONCURSO PÚBLICO? 

MEIRY KAMIA PARTICIPA DO PROGRAMA TRIBUNA INDEPENDENTE – RESPONDENDO AS PERGUNTAS 

CANAL INTERATIVO – COMO ME LIVRAR DAS CANTADAS DO MEU CHEFE?

MEIRY KAMIA PARTICIPA DO PROGRAMA UP COM RUFIS JR – NÃO SEI PERDOAR! O QUE DEVO FAZER?