SABEDORIA ORIENTAL NO TRABALHO

Como o código dos Samurais pode nos ajudar a alcançar o sucesso no trabalho.

*Por Meiry Kamia

Os Samurais formavam uma casta de guerreiros que defendiam os senhores feudais no Japão (Daymios). Exerceram forte influência militar e politica encontrando seu auge a partir do século XII e queda no séc. XIX. No ocidente, os Samurais ficaram muito conhecidos por conta do seu Código de Conduta denominado “Bushidô” (Caminho do Guerreiro), formado por sete preceitos que tinham como objetivo não apenas vencer as batalhas contra os inimigos dos Daymios, mas principalmente, vencer a batalha interna contra os vícios da vida material (preguiça, luxúria, covardia, orgulho, vaidade, etc), elevando o espírito do guerreiro ao patamar da honra e sabedoria.

O Bushidô foi criado sob a influência do Budismo, Xintoísmo e Confucionismo. O destemor da morte e do perigo vem do Budismo. O espírito de lealdade, respeito e reverência aos antepassados vem do Xintoísmo e a ética, do Confucionismo.

O Bushidô era passado de geração em geração através da palavra e da própria conduta dos samurais. Foi muito difundido por todo Japão, servindo de base para as relações humanas e ganhando relevância acima das demais leis. O resultado positivo do Bushidô sobre o povo japonês pode ser visto por meio da organização e velocidade de reconstrução do país que o povo japonês demonstrou no pós-guerra e em outras catástrofes naturais.

Atualmente, o Código do Bushidô serve de inspiração aos guerreiros modernos: Executivos do mundo corporativo. Mais importante do que ganhar dinheiro e vencer os concorrentes do mercado, o Bushidô mostra que manter a conduta correta baseada na ética, respeito mútuo, transparência nas relações, justiça, etc, é a verdadeira garantia de sucesso. O Bushidô lembra o executivo que ganhar uma guerra trapaceando, puxando o tapete, enganando, é vergonhoso e elimina todo mérito do guerreiro, e é desejável a morte à tal desonra.

Abaixo seguem os sete preceitos do Bushidô e sugestões de como aplica-lo no mundo do trabalho:

1 – ESPÍRITO DE JUSTIÇA: Agir com imparcialidade. As decisões devem ser tomadas baseadas naquilo que se considera correto e justo para todos os envolvidos.

APLICAÇÃO NO TRABALHO: O profissional deve agir de forma justa e igualitária com todos os membros da equipe, não permitindo que questões pessoais interfiram em suas decisões. Líder amigo demais, “dois pesos, duas medidas”, politicagem, favorecimentos individuais, devem ser evitados porque a sensação de injustiça corrói a confiança da equipe, destruindo qualquer possibilidade de comprometimento.

2 – ESPÍRITO DE CORAGEM: Viver a vida intensamente enfrentando os desafios da vida. Usar a inteligência para evitar cometer erros e, ao mesmo tempo, não se deixar paralisar pelo medo.

APLICAÇÃO NO TRABALHO: O executivo deve desenvolver a maturidade no trabalho assumindo a responsabilidade por suas ideias, ações e resultado de seu trabalho. O medo de errar, a timidez, a zona de conforto devem ser combatidos. A coragem e a autonomia devem ser incentivadas e apoiadas. Um dos fatores que mais retém talentos dentro de uma empresa é a percepção que o funcionário tem de quanto cresceu como pessoa e profissional dentro da empresa.

3 – ESPÍRITO DE COMPAIXÃO: Ter alma nobre e solidária, que ame o próximo e ajude os colegas em todas as oportunidades que tiver.

APLICAÇÃO NO TRABALHO: Interessar-se pelo outro, perguntar se o outro está bem, fazer gentilezas, perceber se o colega está precisando de ajuda, oferecer ajuda, levar uma xícara de café ou copo d´água, são algumas ações simples que demonstram cuidado com quem está a sua volta. Tais ações resultam em relações de confiança sólidas e dão base para o comprometimento no trabalho.

4 – ESPÍRITO DE RESPEITO: O bom Samurai deve respeitar a todos, inclusive seus inimigos. Para os Samurais, o respeito e admiração devem ser conquistados através da sua postura de coragem, conduta e pela forma como trata as pessoas.

APLICAÇÃO NO TRABALHO: Respeitar significa reconhecer e valorizar o outro como ser humano. Muitas vezes, envoltos pelas preocupações e estresse, é possível ver pessoas tratando seus colegas e clientes como se fossem objetos, não olhando nos olhos, com tom de voz frio e sem consideração ao outro – tais ações são formas de desrespeito no trabalho. Isso é grave! O executivo deve mostrar, através de uma conduta coerente, como demonstrar respeito no ambiente de trabalho. Cumprimentar as pessoas ao entrar nos recintos, elevadores, etc. Sorrir, olhar nos olhos, manter tom de voz cordial, são ações simples que demonstram respeito e que devem ser estimulados no dia a dia.

5 – ESPÍRITO DE HONESTIDADE: A verdade é honrosa, a mentira é covarde e traz desonra. Deve-se assumir sua posição e agir de forma transparente.

APLICAÇÃO NO TRABALHO: Honestidade vai além de não roubar, não fraldar ou vender informações sigilosas. Honestidade é também não utilizar o material da empresa para questões pessoais, é trabalhar as horas contratadas sem fazer corpo mole, é não falar mal da empresa ou de colegas de trabalho – caso tenha algum problema, o melhor é resolvê-lo, de forma transparente.

6 – ESPÍRITO DE HONRA: O Samurai deve honrar o nome da família, e nunca colocar sua reputação em risco. Deve manter o nome limpo para a próxima geração. Por conta disso, deve honrar sua palavra e seus compromissos em qualquer situação.

APLICAÇÃO NO TRABALHO: Sua reputação é a sua marca pessoal, por onde você passa você deixa uma marca (positiva ou negativa) através das palavras que diz e ações que executa. Ser grato à empresa em que trabalha, trabalhar para honrar o nome da empresa, cumprir com o que promete, manter a palavra nos acordos, encarar os problemas de frente e buscar soluções, ou seja, ser uma pessoa coerente com os valores morais e éticos.

7 – ESPÍRITO DE LEALDADE: O Samurai deve ser fiel a seus princípios éticos e morais. Deve saber reconhecer e valorizar os membros de seu clã, responsabilizar-se e lutar por aqueles que fazem parte de sua vida.

APLICAÇÃO NO TRABALHO: No mundo empresarial ser fiel é um grande desafio e o turnover nas empresas é um exemplo disso. Alguns profissionais trocam de empresa como se trocassem de camisa, e isso é encarado como falta de lealdade pelas empresas. O profissional deve pesar na balança da vida se alguns Reais a mais no salário realmente compensarão sua imagem no mercado. Vestir a camisa, comprometer-se com o crescimento da empresa e da equipe, são exemplos de lealdade.

Uma das grandes contribuições do Bushidô para os dias atuais é relembrar que o sucesso material depende de uma conduta honesta e honrosa. A verdadeira riqueza é conquistada através da conduta correta, justa, transparente, que não cause prejuízos a outras pessoas. O grande erro da atualidade é voltar toda sua atenção ao “ter” e esquecer-se do “ser”, e ao fazer isso, tem-se como resultado, um sistema político, econômico e empresarial doentios. O Bushidô relembra que o verdadeiro inimigo humano não está fora dele, e sim dentro. Lutar contra a própria desonestidade, deslealdade, injustiça, preguiça, covardia, etc, e manter uma conduta correta, coerente e justa, não é algo fácil, ao contrário, é uma batalha que deve ser travada diariamente por toda vida.

MEIRY KAMIA – Palestrante, Psicóloga, Mestre em Administração de Empresas, Consultora Organizacional, Graduanda em Teologia. Autora dos livros “Pílulas Mágicas” e “Motivação Sem Truques”. Também é ilusionista, premiada como melhor mágica feminina da América Latina, pela Federação Latino-Americana de Sociedades Mágicas. Desenvolve palestras motivacionais e treinamentos diferenciados, aliando Arte Mágica, Teatro e Psicologia. Site: www.meirykamia.com; contatos: 11-2359-6553; contato@meirykamia.com